A SouSmile Funciona?!
Beleza
A SouSmile Funciona?!
Lançamento – NIVEA Sun Beauty Expert!
Beleza
Lançamento – NIVEA Sun Beauty Expert!
Blush – Almanati
Beleza
Blush – Almanati
Corretivo Boeing – Benefit
Maquiagem
Corretivo Boeing – Benefit
Rímel ”No Panda” – Vizzela
Maquiagem
Rímel ”No Panda” – Vizzela
Base Aqua Hidratante – Quem Disse Berenice
Maquiagem
Base Aqua Hidratante – Quem Disse Berenice
Maquiagem5 produtos nacionais que valem muito a pena
ModaBotinhas lindas pra você investir nesse inverno
Off

Gaslighting – O que é e como se defender?

em 30/05/2016 por Gleici Duarte

“Isso é coisa da sua cabeça!”

“Tem certeza disso? Você vive confundindo e esquecendo as coisas…”

“Você tá maluca, isso nunca aconteceu.”

longform-original-3153-1434098970-4

Gaslighting é um termo que a literatura clínica usa para identificar manipulação psicológica de pessoas que fazem suas parceiras duvidarem sobre a veracidade de um fato ou acontecimento, e até mesmo, duvidar da própria sanidade.

O termo vem da peça de teatro Gás Light (1938), em que um marido tenta deixar sua mulher louca diminuindo todas as luzes a gás da sua casa, e então, negando que a luz tenha mudado quando a sua esposa aponta a diferença. É um abuso emocional muito eficiente que faz com que a vítima questione suas próprias percepções, sentimentos e sanidade, dando poder ao abusador. Uma vez que o parceiro abusivo tenha conseguido fazer a vítima perder a habilidade de confiar em suas próprias percepções, passa a ser muito mais provável que ela permaneça nesse relacionamento.

  • Técnicas usadas pelo abusador

Negação: “Eu não quero ouvir isso de novo” ou “Você está tentando me confundir”. Acontece quando o parceiro abusivo finge não entender ou se nega a ouvir a parceira(o).

Contestação: “Sua memória é ruim, você tá enganada!”. O parceiro(a) abusivo questiona a memória da vítima, ainda quando ela se lembra das coisas corretamente.

Desvio: “Essa é mais uma ideia maluca que te fulana te deu, né?” ou “Você está imaginando coisas de tanto conviver com fulano”. Ocorre quando o parceiro(a) abusivo muda de assunto ou questiona os pensamentos da vítima.

Banalização: “Você vai ficar brava por algo tão bobo?” ou “Nossa, você é muito sensível”. Acontece quando o parceiro(a) abusivo faz as necessidades ou ou sentimentos da vítima parecerem sem importância e banais.

Esquecimento: “Não faço ideia do que você está falando” ou “Isso é coisa da sua cabeça”.  O parceiro(a) abusivo finge ter esquecido o que realmente aconteceu ou nega coisas, como promessas feitas à vítima.

O abuso acontece de forma muito gradual numa relação, inclusive, as ações do parceiro(a) abusivo podem parecer inofensivas ao primeiro olhar. Porém, ao passar do tempo,  esses padrões abusivos continuam e sua vítima pode acabar ficando confusa, ansiosa, isolada e deprimida, podendo perder toda a noção do que está acontecendo ao seu redor. Então ela começa a se apoiar cada vez mais no parceiro abusivo para definir a realidade, o que cria um ciclo difícil de ser quebrado.

É importante começar a reconhecer os sinais e aos poucos aprender a confiar em si mesma de novo para que a vítima se liberte. Segundo o psicalista, PhD, e autor do livro The Gaslight Effect , Robin Stern, os sinais do abuso incluem:

  • Você duvida de si mesma com frequência.

  • Você se pergunta “Eu sou emotiva demais?” várias vezes ao dia.

  • Você constantemente se sente confusa ou até mesmo maluca.

  • Você está sempre pedindo desculpas ao seu parceiro.

  • Você não entender por que, com tantas coisas aparentemente boas na sua vida, você não está mais feliz.

  • Você frequentemente cria desculpas para justificar o comportamento do seu parceiro para seus amigos e sua família (ou até para si mesma).

  • Você começa a esconder informações dos seus amigos e da sua família para que não tenha que explicá-las ou inventar desculpas.

  • Você sabe que algo está muito errado, mas nunca consegue expressar exatamente o que, nem para si mesma.

  • Você começa a mentir para evitar as distorções da realidade e ser posta para baixo.

  • Você tem dificuldade para tomar decisões simples sozinha.

  • Você sente que costumava ser uma pessoa muito diferente – mais confiante, mais divertida e mais relaxada.

  • Você está desesperançosa e sem ânimo.

  • Você julga que não consegue fazer nada certo.

  • Você se pergunta se é “boa o suficiente” como parceira.

Post original loveisrespect.org

Converse com seus amigos e familiares sobre suas percepções. Não se afaste de pessoas queridas para que não haja isolamento social e que sua rede de apoio exista. Procure ajuda profissional ao reconhecer sinais de gaslighting que te afetem causando prejuízo emocional e psicológico.

Relacionamentos abusivos existem em relacionamentos héteros ou homoafetivos, e abusadores podem ser homens e mulheres. 

O número 180 da Central de Atendimento à Mulher de todo o Brasil dá informações sobre suporte a vítimas de abuso. Outros telefones: Espanha, ligue para 900 990 055, discar opção 1 e, em seguida, informar (em Português) o número 61-3799.0180. Portugal, ligar para 800 800 550, discar 1 e informar o número 61-3799.0180. Itália, ligar para 800 172 211, discar 1 e, depois, informar (em Português) o número 61-3799.0180.

Você não está só!

 

Gostou desse post?
Cadastre-se e receba todas as nossas dicas, artigos e tutoriais por email!
Conversa com a gente
  1. Avatar
    Juliana Garcia Dias
    24/07/2017 às 14:33

    Acho que mais importante do que o termo é o conteúdo… Não conhecia essa matéria e agora irei pesquisar mais sobre ela.
    Muito Bom! Parabéns!

  2. Avatar
    Valéria Rib
    04/11/2016 às 14:39

    to passando por isso… num ex-relacionamento homoafetivo…

  3. Avatar
    Capuchinha
    01/11/2016 às 20:12

    Oi, o texto é muito bom! Parabéns, já passei por isso intensamente e o texto reflete muito bem! Só queria pedir/perguntar os créditos da ilustração que aparece, que também é muito boa, de quem é? não achei…

  4. Avatar
    Sarah Maria
    07/06/2016 às 18:38

    O nome disso é MANIPULAÇÃO. Por que essa mania de imitar termos americanizados???

    • Avatar
      Gleici Duarte
      17/06/2016 às 16:33

      O termo manipulação vai além e é mais abrangente, né? Infelizmente eu não tenho capacidade técnica pra traduzir e oficializar a tradução :/

      Beijo!

  5. Avatar
    Sônia Tedesco Melo
    05/06/2016 às 17:51

    Ótimo texto, descreve muito bem o processo do relacionamento abusivo. Acho que o pior é contar com os familiares amigos, ou eles não acreditam ou nos julgam. Tem hora que você precisa contar só com você mesmo e fazer isso em um momento em que sua auto estima está fraca, sua ideia da sua própria identidade tão afetada é realmente muito difícil. Necessário, mas realmente difícil.

  6. Avatar
    Bruna AF
    05/06/2016 às 17:40

    Nossa! Muito bom saber!

  7. Avatar
    Franci Pacheco
    31/05/2016 às 15:07

    eu não sabia que tinha um nome para isso, conheço muita gente que já vivenciou! ótimo post

  8. Avatar
    Zilandra Batista Rodrigues
    31/05/2016 às 09:11

    o que mais tenho observado ultimamente sao os relacionamentos abusivos

  9. Avatar
    Clara
    31/05/2016 às 08:58

    Muito bom o post!
    Aproveito para deixar sugestão de um assunto para futuro post: mulheres que amam demais.

  10. Avatar
    Lucy
    30/05/2016 às 23:08

    Gleici, o que você recomenda fazer quando esse tipo de coisa vem da própria família?

    • Avatar
      Gleici Duarte
      17/06/2016 às 16:34

      Sinto muito, lucy. Buscar sua independência é fundamental, e tenha a certeza de que a culpa não é sua.

  11. Avatar
    30/05/2016 às 18:14

    Adorei o post. Muitas meninas as vezes estão em relacionamentos abusivos e não conseguem identificar, e só depois que um grande estrago emocional está feito elas começam a perceber ou são alertadas por amigos e família.
    É muito bom que as blogueiras comecem a falar sobre esses assuntos já que está se tornando algo tão frequente e muito discutido.
    Beijos, https://wolfmess.blogspot.com

  12. Avatar
    Tatiane Nascimento
    30/05/2016 às 17:46

    Não sabia nada sobre isso…