Paletas multifuncionais favoritas!
Maquiagem
Paletas multifuncionais favoritas!
Sistema Velvet – nova base, corretivo e pó de contém1g
Maquiagem
Sistema Velvet – nova base, corretivo e pó de contém1g
Batom marrom – 6 indicações para entrar na tendência!
Maquiagem
Batom marrom – 6 indicações para entrar na tendência!
Dupes nacionais de makes gringas!
Beleza
Dupes nacionais de makes gringas!
Glycolic TX – a nova base do Boticário
Beleza
Glycolic TX – a nova base do Boticário
Máscara de cílios – indicações para cada gosto!
Maquiagem
Máscara de cílios – indicações para cada gosto!
Moda

10 motivos para ver “The True Cost” – documentário que expõe os impactos do mundo fashion

em 24/08/2015 por Bia Yzawa

10-motivos-para-ver-the-true-cost-EAB-capa

A maneira como a moda é abordada tem mudado nos últimos anos e, felizmente, cada vez mais temos acesso a informações que antes podiam passar despercebidas. O consumo exacerbado, os impactos ambientais das indústrias têxteis e o resultado dessa produção excessiva de roupas são alguns dos assuntos em voga.

The True Cost – “O Verdadeiro Custo” –  é um documentário recente que aborda essas questões. Estreado no Brasil no final de maio desse ano, são 92 minutos que servem como um “tapa na cara”.

 

E por que ver? Listo aqui alguns motivos:

1. É sobre roupas. E todos nós usamos. Ou seja, somos todos participantes desse processo e não podemos apenas olhar para essas questões como se fossem problemas distantes de nós.

2. Oferece um outro ponto de vista do universo fashion. E não é nada glamouroso.

10-motivos-para-ver-the-true-cost-EAB-2

3. Mostra porque não é uma boa ideia comprar aquela peça muito baratinha.

4. Nos faz refletir sobre esse sistema no qual algumas empresas ganham rios de dinheiro, mas a custo do quê?

5. O documentário não apenas expõe o lado crítico da indústria fashion, mas também oferece alternativas que todos nós podemos fazer: tanto o empresário, quanto o consumidor.

10-motivos-para-ver-the-true-cost-EAB-3

6. Mostra a importância da gente saber onde a peça foi fabricada. E vai entender também o motivo de ser feita em lugares tão distantes.

7. A preocupação ambiental não é apenas com as fumaças visíveis que saem das chaminés das fábricas – o material que está em contato com a nossa pele, aparentemente ingênuo, pode ser um dos maiores responsáveis pela contaminação do solo.

8. Num ano em que os paulistanos sofrem com a falta de água, esse documentário acrescenta mais um ponto de reflexão: Você sabe como são os rios próximos aos pontos de fabricação de tecidos?

10-motivos-para-ver-the-true-cost-EAB-1

Imagens: reprodução

9. Reflexão sobre nossos comportamentos e desejos: até que ponto você realmente precisa comprar mais uma roupa? E o que acontece com as peças descartadas?

10. Se você precisava de uma ajuda para frear o consumismo, você vai encontrar vários motivos ao longo desses 92 minutos.

 

Até mesmo para quem acompanha essa lado B do mundo fashion, acredito que o documentário ainda acrescenta informação. Ou seja, vale a pena assistir.

Mais informações sobre o documentário na página oficial.

Moda

Hora de desapegar

em 22/06/2015 por Bia Yzawa

Que tal aproveitar a chegada do inverno para separar um tempo na agenda e revisar o guarda-roupa? Mudança de estação é uma ótima oportunidade para fazer uma faxina geral no armário e avaliar os itens que precisam ser passados para frente: doação, venda ou lixo.

Antes de colocar a mão na massa, fique atenta a essas dicas:

hora-de-desapegar

POR ONDE COMEÇAR?

Se você tem muitas roupas para serem analisadas, separe um tempo para cada parte do guarda-roupa. Organizar por “áreas” dentro do closet é uma maneira rápida para aqueles que não tem muito tempo livre no dia a dia, além de fazer menos bagunça que tirar todas as peças de uma só vez.

 

QUANDO É A HORA DE DESAPEGAR?

Uma das maiores dificuldades é saber se deve ficar com aquela roupa ou se deve passar para frente. Para facilitar nesse momento de dúvida, listei algumas situações que são sinais de passar para frente:

  • Peças que ainda estão com etiquetas ou que você nem lembrava que tinha

Se você encontrou no meio do armário uma roupa que ainda está com a etiqueta e ela foi adquirida há um tempo, provavelmente você não ama aquela peça – caso contrário, você já teria usado. Pode acontecer de ser apenas descuido mesmo, aí você vai descobrir caso bater aquela sensação de “quero usar agooora”. Caso não tiver nenhuma ligação com a roupa, então passe para frente.

  • Roupas com tamanho menor que o seu

Situação: engordou um pouco, mas não se desfez das calças com tamanhos menores pensando que um dia podia voltar a vestir aquele manequim. Mas pense: há quanto tempo você guarda aquela roupa? Se faz mais de um ano que seu tamanho mudou e você está satisfeita com seu corpo, provável que seu manequim mudou mesmo – o que é normal. Então não vai adiantar nada acumular roupas que não  servem mais.

  • Itens que você usou pouquíssimas vezes

Pense: por que você usou pouco? Muitas vezes que compramos por impulso e podemos até achar a peça bonita, mas ela não combina com a nossa personalidade. Nesse caso acontece de usar a peça uma vez ou outra, mas sem muito interesse. Se ela não está no seu dia a dia, sinal de que não está de acordo com seu estilo.

  • Se você pensar na frase: “vai que a moda volta”

Não caia nessa cilada. Primeiro que, se você aposentou aquela peça, significa que você não era tão chegada naquela tendência de moda – porque se você realmente gostar de algo, você vai continuar usando independente de ser “tendência” ou não. E segundo que a moda trabalha em ciclos sim, porém ela volta sempre diferente: a peça carrega detalhes que determinam a época, seja no corte, na lavagem, nas cores etc. Então, se você se importou o suficiente a ponto de parar de usar algo que deixou de ser tendência, provável que você vai preferir comprar uma peça nova do que usar a sua peça “velha”. Nesse caso, melhor doar do que deixar a peça no armário.

  • Peças bem usadas e desgastadas

Roupas e sapatos não são bens duráveis, eles se desgastam e precisam ser repostos. No meu último desapego, fiz uma análise de quanto tempo dura roupa e sapato. Quando a peça está em bom estado e sofreu pouca alteração (por exemplo, cor desbotou), pode-se pensar em doação. Já em casos da peça estar muito danificada, o destino precisa ser o lixo mesmo.

 

DOAÇÃO

Separe peças limpas e em bom estado. A roupa precisa estar em boas condições para ser usada por outra pessoa; ou seja, não vai adiantar nada doar um item todo rasgado ou cheirando mal.

Quando você deposita roupas em centros de doação, elas passam por uma triagem para separar aquelas que estão boas para serem doadas. Isso porque, infelizmente, muita gente descarta qualquer coisa – peças sujas, molhadas, mofadas, furadas etc – como se as caixas de doação fossem cestas de lixo. Esse descarte incorreto, além de mal educado, atrapalha e atrasa a doação.

Quem quiser doar, aproveita que estamos na época da campanha do agasalho. O site da campanha para o Estado de São Paulo disponibiliza consulta por postos de coleta mais próximos do seu CEP.